O modelo de vendas on-line muda a cara das lojas

O modelo de vendas on-line muda a cara das lojas

O modelo de vendas on-line muda a cara das lojas

Lojas com vitrines digitais, óculos de realidade virtual e a possibilidade de comprar sem contato humano mudam o comércio – até no Brasil

 

Não há vitrine. O interessado escolhe os produtos por meio de uma tela, que permite ver milhares de opções. Com óculos de realidade virtual, é possível enxergar como o item vai combinar com o restante da decoração da casa. O processo de escolha é acompanhado por câmeras capazes de captar as expressões faciais dos visitantes e, por meio de softwares de inteligência artificial, avaliar o grau de receptividade do cliente e sua satisfação com o desempenho do vendedor – agora chamado de consultor. Não há caixas, muito menos filas para pagamento. Os consultores carregam dispositivos móveis, parecidos com smartphones, onde registram a compra e o pagamento, além de também fazerem a entrega da mercadoria. Aquela história de escolher, pegar e pagar – comprar, enfim – não é mais a mesma.

Num shopping de São Paulo, a rede varejista Ponto Frio inaugurou em janeiro a primeira unidade desse modelo, tido como a loja do futuro, uma união entre e-commerce e ponto de venda tradicional. Montada em um espaço de 137 metros quadrados, é quatro vezes menor que suas lojas tradicionais, pois não é preciso espaço para abrigar um mostruário onde realmente estão geladeiras, fogões e outros itens – tudo ali é visto por uma espécie de vitrine digital de 2 metros de altura, na qual o comprador tem noção do produto em tamanho real, pode acessar informações técnicas e comprar com um toque na tela. “Nesse formato de loja, a experiência de compra passa a ser mais prazerosa e interativa”, disse Ana Paula Tozzi, presidente da AGR Consultores, especializada em varejo. “Esse consumidor encontra tudo o que encontraria na compra on-line, tem a interação da loja física e é colocado em contato com inovações tecnológicas.” Na loja do Ponto Frio há cerca de 10 mil produtos nas vitrines virtuais. O Ponto Frio pretende abrir neste ano 80 pontos de venda nesse formato que une o virtual ao comércio presencial. 

mavidal